jump to navigation

O tempo que passa e dói maio 31, 2009

Posted by jujuinsana in Uncategorized.
add a comment

Por que o tempo passa?
Por que as amizades, que eram tão legais, não duram pra sempre?
Por que as conversas – que costumavam ser longas, engraçadas, cheias de comentários bobos, engraçados ou até mesmo tristes – acabam?
Por que o tempo ou as circunstâncias mudam e então cada um acaba indo pro seu canto, vivendo a sua vida, com novas pessoas, novos sentimentos, situações diferentes, e no final do dia aquelas amizades antigas já nem fazem mais tanta falta?
Por que tudo é assim, tão estranho? E de repente a gente olha pra trás, e tá tudo tão diferente. As coisas, os lugares, as pessoas, os relacionamentos. A gente se olha no espelho e mudou tanto em tão pouco tempo. A gente se achava cheia de defeitos antes, e percebe que agora sim é cheia de defeitos. A gente achava que não tinha muitos amigos, e descobre que a solidão do hoje é muito maior. E a gente se achava triste, e vê que a tristeza, as decepções, são bem mais frequentes no agora do que no “antigamente”.
E assim o tempo vai passando. E quando você para pra olhar pra trás, dói. É por isso que eu odeio a sensação de nostalgia.

O Leitor e Kate Winslet abril 27, 2009

Posted by jujuinsana in Uncategorized.
add a comment

The Reader conta a história de Michael Berg, um adolescente nos anos 60, se apaixona por Hanna Schmitz, uma mulher bem madura, bonita, sensual e autoritária. Ele tem 15 anos, ela 36. Os seus encontros são como um ritual: primeiro tomam banho juntos, depois ele lê, ela escuta, e finalmente fazem sexo. Toda essa felicidade estranha tem um fim abrupto quando Hanna desaparece de repente da vida de Michael. Ele só a encontrará muitos anos mais tarde, envolvida num processo de acusação a ex-guardas dos campos de concentração nazistas. Aí então começa uma reflexão dolorosa sobre a legitimidade de uma geração, o julgamento de uma nação anterior (que é responsável por vários crimes).

O Leitor

O Leitor

Eu vi o filme antes de ler o livro. E fiquei muito, muito comovida com a história. Hanna Schmidt é levada a fazer escolhas (pelas quais ela vai ser julgada pra sempre) por ignorância, por medo de mostrar o que ela considerava sua maior fraqueza. Daí, ganhei (depois de pedir para o namorado) o livro e… foi a primeira vez que preferi um filme a um livro.
Pra mim, o livro passou uma frieza gigantesca. Você não se sente na história, mas sim passando por ela, vendo tudo acontecer de fora, de um jeito imparcial. Eu mal consegui sentir as emoções que o autor tentou transmitir no livro. Não sei se é pelo fato de ser escrito por um alemão (e eu nem sei se isso é um preconceito meu, considerar alemães pessoas frias), ou pelo fato do autor ser formado em Direito e envolver muito a ciência no livro, só sei que o livro, em si, não me tocou.
E então, mais uma vez, aplaudo de pé minha deusa Kate Winslet, por conseguir trazer uma emoção e peso gigantescos pro cinema, fazendo eu me apaixonar pelo filme e passar dias pensando sobre as decisões do Michael Berg e sobre a trajetória da vida da Hanna. Kate Winslet é diva, é deusa, e pode pegar qualquer roteiro e transformar em um filme perfeito!

not trivial abril 18, 2009

Posted by jujuinsana in Uncategorized.
add a comment

No fundo eu sou só mais uma garota hiper comum. Nada criativa. Que gosta de dormir até tarde. Que se pudesse não ia pra universidade em reforma, suja, nojenta e barulhenta. Que entra no justjared pra ver fofoca de artista. Que leu todos os livros da saga Twilight, acha o Robert Pattinson e a Kristen Stewart bonitinhos e nem por isso sai gritando por aí que quer ser uma vampira. Que gosta muito de Pearl Jam, Metallica, Iron, mas ainda quer aprender a dançar que nem a Britney. Que chora por qualquer besteira, e chora até os olhos ficarem inchados e o nariz vermelho. Que quer emagrecer 10kg, ficar com todos os ossinhos aparecendo, mas não resiste a certos pecados gastronômicos. Que gosta de Psicologia mas não sabe se é isso que quer fazer da vida. Que se pudesse compraria toda a coleção de melissas que existe no mundo. Que se não tivesse mais nada pra fazer da vida, viveria de dormir, ler livros e revistas. Que é grossa de vez em quando, mas fica muito magoada com qualquer grosseria alheia… No fundo eu sou só mais uma garota hiper comum.

teste de paciência… abril 17, 2009

Posted by jujuinsana in Uncategorized.
add a comment

Faz uns 2 meses que comecei a sentir uma dorzinha esquisita no pé. No começo só doía quando eu acabava de acordar, e, como na época eu tava viciada em academia, eu ia pra esteira e passava 55 minutos andando super rápido. E a dor lá. Aí foi aumentando, aumentando, aumentando, e não pude mais andar direito.

Um médico disse que era uma tendinite, e que se não passasse com remedinhos e gelinhos em 15 dias eu ia ter que engessar. Troquei de médico. Não passou. Imobilizei. Não passou. Botei gelo. Não passou. Comecei uma fisioterapia e tá começando a melhorar.

Eu nunca pensei em ficar frustrada com algo desse tipo, mas agora eu tou vendo como não conseguir andar direito é terrível. Imagina pra quem não tem um pé, ou os 2? E pra quem depende de cadeira de rodas?

Hoje eu tava meio puta, choramingando (né, porque tenho 22 anos mas choro feito uma de 5, por tudo), porque um percurso ridículo que eu fazia em 30 segundos hoje fiz com mais de 2 minutos, e aí mamãe veio dizer que vai ver isso era Deus fazendo alguma coisa pra eu aprender a ter paciência, porque isso é algo que nem entra no meu vocabulário.

Não sei se foi Deus, não sei quem foi que botou essa praga no meu pé. Só sei que teste de paciência realmente é. Vai ver daqui a uns dias (espero eu), quando eu já estiver andando (sem ser a passo de formiga) mesmo, eu esteja mais paciente, calma, tranquila, serena, de bem com a vida… E aí eu caio da cama e acordo! Porque isso tudo aí eu não serei nunca, HÁ!

teria sido uma vaca. abril 16, 2009

Posted by jujuinsana in Uncategorized.
Tags: , , , ,
add a comment

e lá vem mais um blog pra minha coleção. esse é o 473º, minha gente, porque vivo criando blogs nos quais não escrevo por falta de criatividade para assuntos interessantes/engraçados/bestas.

daí que juro que passei quase 20 minutos pensando num nome. foi um grande problema. está sendo até agora.  será para todo o sempre, já que não gostei desse aí (apesar de ser o mais fiel à dona possível).  então… depois de pensar 20 minutos sozinha, passei mais 10 pensando com um amigo sobre o futuro nome. a interessante conversa:

Juliana Santos diz:
me diz um nome pro meu blog novo
Juliana Santos diz:
um nome pro endereço xxxx.wordpress.com
Juliana Santos diz:
q combine cmg!
Ðiego. Estrela diz:
lembro de vacas como coisas q vc gosta
Juliana Santos diz:
HAHAHAHHAHAHA
Juliana Santos diz:
td bem, pode dizer algum titulo com vacas
Ðiego. Estrela diz:
pensei mt antes de falar em vacas sem te ofender XD
Juliana Santos diz:
vacas nao me ofendem ¬¬
Ðiego. Estrela diz:
se eu falasse so vaca
Ðiego. Estrela diz:
sem explicar
Ðiego. Estrela diz:
c se sentiria mal
Ðiego. Estrela diz:
u.u
Juliana Santos diz:
eu ia pensar q vc tava me chamando de gorda e ia aí só te bater!
Ðiego. Estrela diz:
viu!
Ðiego. Estrela diz:
u.u
Ðiego. Estrela diz:
vaca malhada?

relutei horrores com o tal nome. eu adoro vacas, são os bichos que mais gosto no universo, eu daria quase tudo pra ter uma dormindo no meu quarto comigo, mas pensei que se eu colocasse o domínio vacamalhada.wordpress.com, talvez as  pessoas pudessem pensar “nossa, uma vaca escrevendo!”, ou “meu deus, a internet chegou no curral!” e coisas assim. pensariam que era uma vaca, e não uma pessoa. e eu não sou uma vaca! e avacalhariam comigo! daí eu disse não, não vai ser esse o nome, mas aí meu amigo disse que se fosse besta ninguém entraria no jacarebanguela ou kibeloco e, confesso, o argumento foi muito válido! fui colocar o tal vacamalhada e… já existia! existe uma empresa ‘vaca malhada’, uma EMPRESA!

por isso, vai ficar esse mesmo. é a vida. contento-me em não ser criativa e escrever tudo com letras minúsculas hoje.